Pular para o conteúdo principal

O Amor é Profilático

!cid_7CFCDDF2ABD3454D90D29550A4C0E414@7d88c84c63404b5
Escutou a palavra e notou que era bonita. — Profilático – repetiu. Sussurrava. Prolongava as sílabas. Não queria se desprender do gozo. Agia como se fosse escritora e naquele momento estivesse se exercitando no oficio de investigar a riqueza semântica do vocábulo.
“Profilático, profilático."
Os olhos fechados pareciam procurar a direção das origens do mundo, dando-me a impressão de que aquela palavra recém-descoberta possuía o poder de lhe devolver ao estado primeiro das coisas, ligando-a novamente a um paraíso perdido, findado, porque esquecido.
O rosto testemunhava o espírito compungido. A fala mansa e repetida sem ansiedade era uma espécie de prece, palavra que ordena, direciona, redime.
Nesse ímpeto de encantamento e paixão pela palavra, ela resolveu concluir, ainda que absorta em inexata compreensão: — O amor que sinto por Jorge é profilático. - Repetiu a frase como se quisesse investigar os desdobramentos práticos daquele amor e quem sabe, assim, compreender o significado da palavra.
A doçura na voz emoldurava a expressão. Conferia-lhe um contexto de amabilidade nunca antes alcançado por outro vocábulo. A palavra a atingia e a afetava de maneira inesperada e surpreendente.
Eu também escutei sem entender.Mergulhei no mistério do desconhecido termo e não o quis por sua lógica. Acolhi a força sonora e musical, e só. Não tive coragem de perguntar, nem tampouco procurar saber o que significava “profilático".Temia atentar contra a sacralidade do termo. Abracei a sonoridade e a assumi como verdade.
Amor profilático deve ser um amor cheio de profundidade, empenho, lisura. Manhãs de inverno e luz tímida de lamparina acesa. Mulher à beira de um fogão alimentado de lenha seca e café deslizando suavemente pelo coador de pano encardido.
A vida de um amor profilático deve ser assim. Coisas lindas costurando as feiúras do dia, cobrindo de bordados cheios de minúcias os avessos e suas ranhuras. Amor que recobre de brilho a estrutura opaca da existência e transforma o cotidiano da vida num acontecimento único, fato que não merece cair no esquecimento.
Profilático deve ser coisa bonita demais para que a gente possa compreender. Amor de romance, bíblico, fiel. Amor de Oseias, o profeta que, depois de traído, encontrou a traidora sendo negociada numa feira de escravos. O amor profilático o encorajou a comprá-la. Reassumiu como esposa a traidora perdoada e, sem muitas perguntas e respostas, levou de volta para casa aquela que do coração nunca partira. História mais linda neste mundo nunca houve.
As religiões nos ensinam que o nome de Deus é impronunciável. O motivo é simples. Ele é grande demais para caber num conceito. Decido, mesmo sem saber teologizar: Deus é profilático. É palavra que não aprisiono. É mistério que prevalece a me sugerir belezas, bondades e oblações.O amor é uma experiência religiosa. Disso não tenho dúvida.
Heleonora ama com amor profilático. Amor que não cabe no tempo. Amor tão grande que a palavra não sabe dizer, assim como o nome de Deus.“Profilático” tem uma sonoridade que aprecio, assim como aprecia também Heleonora, a ponto de adjetivar com ela o seu amor por Jorge. Ela sabe das coisas. O empenho do amante deve estar em nunca esgotar o mistério da criatura amada.
Sobre isso, intuo: O amor não esgota o que ama. O amor sobrevive de saberes e não saberes. O que olho ainda não vejo. Olho com descanso de pausa, porque sei que o mistério ainda vai me sorrir. Eu espero.
As miudezas esparramadas pelos cantos de minhas lembranças me conduzem ao altar de minhas predileções. A memória é o campo do amor preservado. É nela que a autoridade do discurso humano encontra a raiz mais sustentadora.
O que falo de mim é fruto do que memorizei sobre o vivido. Por isso não posso prever o futuro. Para o futuro ainda sou surpresa, assim como o amado é para o amante. Sou o passado passando, ficando, misturando e congregando as funções miúdas do presente, futurando minhas causas e esperanças.
A vida é profilática. Afirmo sem saber. Afirmo sentindo. Tenho medo de consultar o dicionário e descobrir que "profilático" não significa o que sinto quando digo. Esta falta de conexão me faria mergulhar na dor profunda de não encontrar o que procuro. "Profilático" é uma palavra onde repousa o medo de morrer sozinha. Berço onde debruço minha orfandade de amor de homem e a faço dormir.
Não me importa o significado que o autor decidiu registrar. Ele não escutou a palavra no contexto da frase de Heleonora. Ele não viu o seu amor por Jorge. Não presenciou o tremor dos lábios no momento da confissão.
Ele não sentiu o que senti. Não acreditou no que acreditei porque não ouviu a voz tão crente da certeza que afirmava.
O dicionário não é nada perto do amor que sentimos. Os termos estão todos lá, mas a vida, a verdadeira vida, está todinha aqui, neste espaço de não saber, neste espaço de só sentir, ignorante, mas vivo.
Eu sou a vida dos vocábulos. É em mim que eles se desdobram. Heleonora é profilática, assim como a palavra, Ela nutre nas entranhas de sua alma a solução de que o mundo precisa — o amor. A espera por Jorge; os lençóis brancos sendo quarados sobre a pedra da caixa-d'água; a vassoura de piaçava levantando poeira, anunciando que a ordem das coisas ainda é possível; tudo é profilático. O amor, a parte, o meio, a totalidade.
O todo do mundo se amontoando nos móveis simples da sala de estar, lugar onde nunca alguém está.
Na parede, o quadro e seu silêncio a segredar os gritos do passado. O amor conjugado no dia escolhido, entre tantos. O casamento mais pobre do mundo.
Nenhum luxo, além do amor entre os dois. Um bolinho de farinha de trigo recheado com calda de rapadura, e só. Noiva com vestidinho branco, tecido ralo de tão surrado, mas resguardando um corpo impregnado de felicidade nobre. Nenhuma grinalda na cabeça. Apenas o adorno de umas florinhas miúdas, mas viçosas, recolhidas por gente que sabe apreciar as coisas bonitas que o mundo nos oferece sem preço.
O noivo e seu terno de defunto. Solução possível. São roupas que chegam entulhadas em sacos de linhagem. Doações feitas por pessoas desconhecidas. Caridade que viaja distâncias e que desconhece a serventia do que é doado.
Linalva, do centro assistencial, fez questão de recolher o terno e entregá-lo pessoalmente ao Jorge. Nenhum arranjo foi feito. Os comprimentos não cumprem as obrigações. Ou porque sobram, ou porque faltam. Mas o que no quadro não falta é o sorriso que confirma o sacramento, é o amor profilático entre Heleonora e Jorge, a aura sobrenatural que repousa sobre a imagem e que o tempo não domina.
A vida é assim. O que a matéria não supre o amor ajeita.
A vida vale a pena. Eu sei. O quadro na parede não se esquece de me dizer tudo isso. Já valeu ter vivido Para ver esta pobreza de perto e saber que ela está costurada por um amor que tem nome esquisito. Encontrar gente feliz renova minha fé em Deus.

                                          Padre Fábio de Melo in: Mulheres Cheias de Graça
* Para saber mais:
Profilático: adj. Relativo à profilaxia: medida profilática. (Var.: profiláctico.) Preventivo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Verbos Transitivos Diretos e indiretos - Exercícios

PREDICAÇÃO VERBAL - OBJETO DIRETO E OBJETO INDIRETO
1. (CESCEM-SP) Os pássaros voam na mata.
a) verbo de ligação;                  b) verbo transitivo direto;
c) verbo transitivo indireto;        d) verbo intransitivo;
e) nenhum dos citados.

2. (CESCEM-SP) O aluno ficou contente com o resultado dos estudos.
a) verbo de ligação;                  b) verbo transitivo direto;
c) verbo transitivo indireto;        d) verbo intransitivo;
e) nenhum dos citados.

3. (Uni-Rio-RJ) Assinale a opção correta quanto à predicação atribuída ao verbo sublinhado na passagem do texto.
a) "A casa fica num alto lavado de ventos." - ligação;
b) "Aqui não há encantos." - intransitivo;
c) "... as zínias e os manjericões que levantavam um muro colorido ao pé dos estacotes" - transitivo direto e indireto;
d) "Sim, só comparo o Nordeste à Tera Santa." - intransitivo;
e) "... em torno do qual gravitam as plantas, os homens e os bichos." - intransitivo.

4. (Medicina Itajub…

Interpretação de texto–Enem–com gabarito

Teste seus conhecimentos resolvendo 12 questões de interpretação de texto para o Enem.



01. O texto a seguir foi extraído de um romance brasileiro. A partir de sua leitura, é possível extrair traços que permitam identificar o estilo literário a que pertence. Assinale a alternativa que indique esses traços e a escola a que o trecho pode ser filiada.


Caía a tarde. No pequeno jardim da casa do Paquequer, uma linda moça se embalançava indolentemente numa rede de palha presa aos ramos de uma acácia silvestre, que estremecendo deixava cair algumas de suas flores miúdas e perfumadas. Os grandes olhos azuis, meio cerrados, às vezes se abriam languidamente como para se embeberem de luz, e abaixavam de novo as pálpebras rosadas. Os lábios vermelhos e úmidos pareciam uma flor da gardênia dos nossos campos, orvalhada pelo sereno da noite; o hálito doce e ligeiro exalava-se formando um sorriso. Sua tez(1), alva e pura como um froco(2)de algodão, tingia-se nas faces de uns longes(3)cor-de-rosa, que iam, …

40 exercícios sobre formação de palavras com gabarito

Faça os exercícios sobre o processo de formação das palavras e prepare-se para as provas finais. Os exercícios de processo de formação das palavras irão lhe ajudar a entender a matéria e desenvolver um raciocínio lógico


1. (IBGE) Assinale a opção em que todas as palavras se formam pelo mesmo 
      processo: 
      a) ajoelhar / antebraço / assinatura 
      b) atraso / embarque / pesca 
      c) o jota / o sim / o tropeço 
      d) entrega / estupidez / sobreviver 
      e) antepor / exportação / sanguessuga 

 2. (BB) A palavra "aguardente" formou-se por: 
      a) hibridismo     d) parassíntese 
      b) aglutinação     e) derivação regressiva 
      c) justaposição 

3. (AMAN) Que item contém somente palavras formadas por justaposição? 
      a) desagradável - complemente 
      b) vaga-lume - pé-de-cabra 
      c) encruzilhada - estremeceu 
      d) supersticiosa - valiosas 
      e) desatarraxou - estremeceu 

4. (UE-PR) "Sarampo" é: 
      a) forma primitiva 
      b) formado po…