Pular para o conteúdo principal

Técnicas de Redação


Técnicas de Redação

Ultrapassar a barreira entre o pensamento e o papel em branco não é uma tarefa fácil. Portanto, você tem todo direito de ter dificuldades em redigir um texto. O fundamental você já possui: a capacidade de pensar. 


Basta agora aliar sua força de vontade à prática de escrever. Vamos começar?Então, pegue o lápis, o papel e… o que foi? Está difícil começar?Vamos pensar um pouco: A característica principal de um texto bem redigido está na qualidade de seu conteúdo.

Para tanto, é imprescindível estar bem informado sobre o tema à ser discutido. A veracidade das informações, sejam elas históricas, científicas, culturais, deve ser respeitada. Isso não significa que você deixe de questionar a respeito, pois um bom texto depende muito do seu teor crítico acerca da realidade. Assim, podemos dizer que:
Você pode apoiar-se no conhecimento já existente da nossa cultura ocidental.
ou
Você pode questionar o conhecimento já existente, 
desde que conheça bem o tema.


O ideal é nos esforçarmos para escrever nossas próprias idéias, preocupando-nos com o bom senso, mas sem manter uma postura reacionária, acreditando numa verdade absoluta. Há que se lembrar que não existe um conteúdo neutro: sempre existe um questionamento à se fazer, tanto do leitor quanto de quem redige o texto.
Prática: Antes de começar a escrever, lembre-se que o importante é dialogar com seu leitor. Primeiro, faça à lápis, deixando suas idéias esboçadas no papel, sem se preocupar com a estrutura formal. Só reescreva, quando sentir-se mais seguro. O tema é "As dificuldades que tenho para escrever", seu leitor será um aluno cursando o Ensino Médio . No máximo 20 linhas.

Para lembrar:

Não se critica ou reformula algo que não se conhece bem.
Se não houvesse questionamento ainda viveríamos em cavernas.
O diálogo (do grego dia =movimento através, logos =palavra) com o leitor é fundamental.
É preciso antecipar os questionamentos possíveis do leitor, no sentido de manter um diálogo aprofundado e inteligente.
Já para os gregos, a arte do diálogo tinha o sentido de convencer através da palavra.
São muitas as idéias que permeiam nosso pensamento. Tudo o que você leu, viu e ouviu fazem parte do seu repertório pessoal. Como vimos anteriormente, há um conhecimento pré existente acerca dos fatos históricos, culturais e científicos em nossa cultura ocidental aceitos como verdadeiros. O tempo todo, confrontamos o que já conhecemos com a novidade.
Aceitar ou não é uma questão de juízo de valores. Todo juízo de valor implica em outro que o questiona ou contradiz. Esse processo do pensamento em se questionar e contradizer chama-se dialético. É uma oportunidade de observar a realidade sob vários pontos de vista. Há três momentos no processo dialético do pensamento:


A estrutura básica do texto que você escreve corresponde aos três momentos do raciocínio dialético. A principio, temos a introdução, ou seja, a descrição do tema ou idéia inicial. Em seguida, o desenvolvimento: O questionamento em relação à idéia inicial. Finalmente, a conclusão, ou seja, a união dos argumentos mais contundentes de cada idéia.

As três partes que estruturam o texto, também podem ser denominadas: prólogo, corpo e epílogo;começo, meio e fim; introdução, miolo e final;primeira, segunda e terceira parte. O mais importante é compreender que um bom texto depende de uma boa estrutura. Mas, fique tranqüilo. Mais adiante veremos com mais cuidado cada parte da estrutura.
Prática: Pesquise uma notícia recente de jornal. Abstraia do texto a idéia principal e a idéia oposta. Reescreva o texto com suas palavras e adicione a conclusão. Máximo 20 linhas. Seus leitores são estudantes de supletivo para adultos.

Para lembrar:

Dialética é um conceito que define a arte do diálogo.
Para os filósofos marxistas, Dialética é o processo de discussão do real.
Introdução, desenvolvimento e conclusão são as partes que estruturam um ensaio.
O raciocínio dialético deve ser aberto para novas idéias, mas possuir valores sólidos para resistir aos questionamentos.
A estrutura do texto é muito importante. É como a estrutura de um edifício. Imagine o que aconteceria se não existisse?
O texto bem redigido certamente faz o seu leitor pensar sobre o assunto. Portanto, clareza e objetividade acerca do tema escolhido são fundamentais. As dificuldades iniciais para escrever o texto pode estar justamente na delimitação do tema. Ás vezes, o tema escolhido pode ser amplo demais e uma delimitação se faz necessária afim de evitar divagações. A delimitação da idéia central a ser desenvolvida se encontra geralmente logo na introdução.

Ela pode ser explícita, quando o autor se faz presente no texto. Ex: "O que pretendo com esse trabalho é tecer algumas considerações…". Utiliza-se as primeiras pessoas do singular (eu) e do plural (nós) do verbo. A delimitação pode estar implícita, quando o autor não se faz presente, mas o leitor pode deduzir que o assunto está sendo delimitado.Ex:"Esta obra visa ensinar à todos que queiram aprender a redigir corretamente um texto…".

Delimitado o tema, a introdução deve ser sucinta, apenas citando o argumento inicial. Não deve ultrapassar oito ou dez linhas, ou seja, um quinto do texto. Exceto em um ensaio curto (10, 15 linhas), cuja a introdução pode se fundir com o desenvolvimento. Os demais argumentos, os dados, as idéias, o questionamento, entram no desenvolvimento do texto.

Este é maior, ocupando três quintos do texto no mínimo. Aqui, você terá a oportunidade de mostrar toda sua capacidade de argumentação e exposição de idéias. Cuidado para não desviar do tema principal ou colocar opiniões desconexas.

Você deverá pensar o desenvolvimento como uma ponte que levará o leitor da introdução à conclusão. Esta última, deve ter um quinto do texto e encerrar a discussão. A não ser quando propositalmente, o autor queira deixar a conclusão para o próprio leitor.
Prática: O planejamento do texto é muito importante para seu sucesso. Não há como começar a escrever, sem ter em mente o tema delimitado, a introdução, o desenvolvimento e principalmente, a conclusão. Escreva um texto de no máximo 30 linhas sobre o tema:"O fim da ditadura e da censura de imprensa no Brasil" Pesquise, enumere os argumentos e possíveis questionamentos antes de começar. Seus leitores serão jornalistas recém formados.

Para lembrar:

A delimitação do texto, seja implícita ou explícita deve ser decisão sua. Mas há situações impessoais que pode parecer presunção usar "eu acho, eu penso". No vestibular, por exemplo.
Evite introduzir o texto com expressões muito usadas (lugar-comum), chavões.
A introdução deve ser um convite ao leitor para continuar lendo o texto.

Os argumentos do desenvolvimento devem surpreender o leitor. Suas idéias devem ser "saborosas" para atrair sua atenção.
Quando a proporção do texto que você escreve não corresponder ao ensinado, você pode estar com problemas em delimitar o tema. Ás vezes, terminamos "enchendo lingüiça" ou o contrário: ficamos sem ter o que dizer.

Créditos: Sacipandur

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Interpretação de texto–Enem–com gabarito

Teste seus conhecimentos resolvendo 12 questões de interpretação de texto para o Enem.



01. O texto a seguir foi extraído de um romance brasileiro. A partir de sua leitura, é possível extrair traços que permitam identificar o estilo literário a que pertence. Assinale a alternativa que indique esses traços e a escola a que o trecho pode ser filiada.


Caía a tarde. No pequeno jardim da casa do Paquequer, uma linda moça se embalançava indolentemente numa rede de palha presa aos ramos de uma acácia silvestre, que estremecendo deixava cair algumas de suas flores miúdas e perfumadas. Os grandes olhos azuis, meio cerrados, às vezes se abriam languidamente como para se embeberem de luz, e abaixavam de novo as pálpebras rosadas. Os lábios vermelhos e úmidos pareciam uma flor da gardênia dos nossos campos, orvalhada pelo sereno da noite; o hálito doce e ligeiro exalava-se formando um sorriso. Sua tez(1), alva e pura como um froco(2)de algodão, tingia-se nas faces de uns longes(3)cor-de-rosa, que iam, …

Verbos Transitivos Diretos e indiretos - Exercícios

PREDICAÇÃO VERBAL - OBJETO DIRETO E OBJETO INDIRETO
1. (CESCEM-SP) Os pássaros voam na mata.
a) verbo de ligação;                  b) verbo transitivo direto;
c) verbo transitivo indireto;        d) verbo intransitivo;
e) nenhum dos citados.

2. (CESCEM-SP) O aluno ficou contente com o resultado dos estudos.
a) verbo de ligação;                  b) verbo transitivo direto;
c) verbo transitivo indireto;        d) verbo intransitivo;
e) nenhum dos citados.

3. (Uni-Rio-RJ) Assinale a opção correta quanto à predicação atribuída ao verbo sublinhado na passagem do texto.
a) "A casa fica num alto lavado de ventos." - ligação;
b) "Aqui não há encantos." - intransitivo;
c) "... as zínias e os manjericões que levantavam um muro colorido ao pé dos estacotes" - transitivo direto e indireto;
d) "Sim, só comparo o Nordeste à Tera Santa." - intransitivo;
e) "... em torno do qual gravitam as plantas, os homens e os bichos." - intransitivo.

4. (Medicina Itajub…

Exercícios sobre os Elementos da Comunicação

EXERCÍCIOS SOBRE OS ELEMENTOS DE COMUNICAÇÃO

1. O pai conversa com a filha ao telefone e diz que vai chegar atrasado para o jantar.
Nesta situação, podemos dizer que o canal é:
a) o pai
b) a filha
c) fios de telefone
d) o código
e) a fala

2. Assinale a alternativa incorreta:
a) Só existe comunicação quando a pessoa que recebe a mensagem entende o seu significado.
b) Para entender o significado de uma mensagem, não é preciso conhecer o código.
c) As mensagens podem ser elaboradas com vários códigos, formados de palavras, desenhos, números
etc.
d) Para entender bem um código, é necessário conhecer suas regras.
e) Conhecendo os elementos e regras de um código, podemos combiná-los de várias maneiras, criando
novas mensagens.

3. Uma pessoa é convidada a dar uma palestra em Espanhol. A pessoa não aceita o convite, pois não sabia falar com fluência a língua Espanhola. Se esta pessoa tivesse aceitado fazer esta palestra seria um
fracasso porqu…