Pular para o conteúdo principal

Vampiros no Cinema

A literatura foi a primeira a explorar a figura mitológica do vampiro, presença ancestral em diversas culturas, mas o cinema contribuiu decisivamente para popularizar a lenda do personagem noturno que se alimenta de sangue e que pode ser combatido com o uso de artifícios como dentes de alho e água benta. Transformar-se em morcego, não suportar a luz do sol e só entrar em sua casa se for convidado estão entre as suas características mais conhecidas.

Como os sucessos recentes de "Crepúsculo" e de "True Blood" demonstram, inicialmente no mercado editorial e depois no cinema e na TV, os vampiros continuam a exercer fascínio e, em algumas adaptações, têm destacado justamente o seu aspecto sedutor. Na lista abaixo, você encontra dez significativas contribuições do cinema à criação dessa mitologia aparentemente inesgotável -- como a vida de seus protagonistas, até que alguém lhes crave uma certeira estaca no coração.

Confira os filmes:

10 - "Entrevista com o Vampiro" (Interview with the Vampire: The Vampire Chronicles, 1994)
Coube ao irlandês Neil Jordan, em seguida ao êxito de "Traídos pelo Desejo" (1992), adaptar o romance homônimo da norte-americana Anne Rice, com roteiro da escritora. Louis de Pointe du Lac (Brad Pitt) conta seu encontro em Nova Orleans, 200 anos antes, com o vampiro Lestat de Lioncourt (Tom Cruise). O longa ganhou uma continuação: "A Rainha dos Condenados" (2002).

9 - "Guardiões da Noite" (Nochnoy Dozor, 2004)
Russo de origem cazaque, o diretor Timur Bekmambetov ("O Procurado", 2008) pavimentou o caminho para a carreira internacional com esse recordista de bilheteria em seu país, sobre um combate ancestral entre os Outros, divididos entre criaturas das luzes e das trevas. Continuação: "Guardiões do Dia" (2008).

8 - "Deixe Ela Entrar" (Lat Den Rätte Komma In, 2008)
Baseado em romance do sueco John Ajvide Lindqvist, seu conterrâneo Tomas Alfredson dirigiu uma sangrenta e angelical modernização da lenda. Num subúrbio de Estocolmo, no início dos anos 80, menino que sofre na mão dos colegas encontra amparo e afeto em uma vampira adolescente de dois séculos.

7 - "A Dança dos Vampiros" (The Fearless Vampire Killers, 1967)
Um dos primeiros êxitos na carreira do polonês Roman Polanski, que faria em seguida "O Bebê de Rosemary" (1968). Nessa variação bem-humorada da tradição, o diretor interpreta o auxiliar de um professor que vai à Transilvânia para pesquisas. Com Sharon Tate (1943-1969), que foi esposa de Polanski.

6 - "Drácula" (Dracula, 1931)
Versão do romance do irlandês Bram Stoker (1847-1912) dirigida pelo norte-americano Tod Browning (1880-1962), que assinou também "Monstros" (Freaks, 1932). O húngaro Bela Lugosi (1882-1956) -- interpretado por Martin Landau em "Ed Wood" (1994), de Tim Burton -- faz o papel que o celebrizou.

5 - "O Vampiro da Noite" (Dracula, 1958)
Diversas gerações foram apresentadas aos vampiros pelas reprises na TV desta clássico da produtora inglesa Hammer, que reeditou a parceria entre o diretor Terence Fisher (1904-1980) e o ator Christopher Lee. Juntos, eles haviam feito "A Maldição de Frankenstein" (1957). Teve oito continuações (sete com Lee).

4 - "Nosferatu" (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens, 1922)
Adaptação não-creditada do romance de Bram Stoker, que o alemão F. W. Murnau (1888-1931) transformou, ainda no período silencioso, no primeiro clássico do gênero. Max Schrek (1879-1936), interpretado por Willem Dafoe em "A Sombra do Vampiro" (2000), faz o conde que leva a praga até uma pequena cidade.

3 - "O Vampiro" (Vampyr - Der Traum des Allan Grey, 1932)
O maior diretor dinamarquês da história e um dos grandes cineastas do século 20, Carl Theodor Dreyer (1889-1968), conta a história de um viajante (Julian West) que se hospeda em castelo onde coisas estranhas começam a intrigá-lo -- e, depois, a assustá-lo. Baseado em romance do irlandês Sheridan Le Fanu (1814-1873).

2 - "Nosferatu, o Vampiro da Noite" (Nosferatu: Phantom der Nacht, 1979)
Nascido para interpretar a figura atormentada de um vampiro, o alemão Klaus Kinski (1926-1991) -- pai da atriz Nastassja Kinski -- faz um Drácula que o diretor Werner Herzog (autor do documentário "Meu Melhor Inimigo", sobre Klaus) adaptou do romance de Bram Stoker e do "Nosferatu" de Murnau. Com Isabelle Adjani, então no auge da beleza.

1 - "Drácula de Bram Stoker" (Bram Stoker's Dracula, 1992)
O autor do romance mais célebre sobre vampiros aparece no título do filme para assinalar a sua proximidade com o original. O diretor Francis Coppola ("O Poderoso Chefão", "Apocalypse Now") recorreu a antigas técnicas de efeitos especiais para dar um aspecto visual singular à sua trágica e romântica visão de Drácula (Gary Oldman), com Winona Ryder como seu amor de perdição.


Sérgio Rizzo, 44 anos, é jornalista e professor. Escreve sobre cinema para a revista "Set" e também é colunista de futebol internacional do Yahoo! Brasil. Dá aulas na Universidade Mackenzie, na Academia Internacional de Cinema e na Casa do Saber.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Interpretação de texto–Enem–com gabarito

Teste seus conhecimentos resolvendo 12 questões de interpretação de texto para o Enem.



01. O texto a seguir foi extraído de um romance brasileiro. A partir de sua leitura, é possível extrair traços que permitam identificar o estilo literário a que pertence. Assinale a alternativa que indique esses traços e a escola a que o trecho pode ser filiada.


Caía a tarde. No pequeno jardim da casa do Paquequer, uma linda moça se embalançava indolentemente numa rede de palha presa aos ramos de uma acácia silvestre, que estremecendo deixava cair algumas de suas flores miúdas e perfumadas. Os grandes olhos azuis, meio cerrados, às vezes se abriam languidamente como para se embeberem de luz, e abaixavam de novo as pálpebras rosadas. Os lábios vermelhos e úmidos pareciam uma flor da gardênia dos nossos campos, orvalhada pelo sereno da noite; o hálito doce e ligeiro exalava-se formando um sorriso. Sua tez(1), alva e pura como um froco(2)de algodão, tingia-se nas faces de uns longes(3)cor-de-rosa, que iam, …

Verbos Transitivos Diretos e indiretos - Exercícios

PREDICAÇÃO VERBAL - OBJETO DIRETO E OBJETO INDIRETO
1. (CESCEM-SP) Os pássaros voam na mata.
a) verbo de ligação;                  b) verbo transitivo direto;
c) verbo transitivo indireto;        d) verbo intransitivo;
e) nenhum dos citados.

2. (CESCEM-SP) O aluno ficou contente com o resultado dos estudos.
a) verbo de ligação;                  b) verbo transitivo direto;
c) verbo transitivo indireto;        d) verbo intransitivo;
e) nenhum dos citados.

3. (Uni-Rio-RJ) Assinale a opção correta quanto à predicação atribuída ao verbo sublinhado na passagem do texto.
a) "A casa fica num alto lavado de ventos." - ligação;
b) "Aqui não há encantos." - intransitivo;
c) "... as zínias e os manjericões que levantavam um muro colorido ao pé dos estacotes" - transitivo direto e indireto;
d) "Sim, só comparo o Nordeste à Tera Santa." - intransitivo;
e) "... em torno do qual gravitam as plantas, os homens e os bichos." - intransitivo.

4. (Medicina Itajub…

Exercícios sobre os Elementos da Comunicação

EXERCÍCIOS SOBRE OS ELEMENTOS DE COMUNICAÇÃO

1. O pai conversa com a filha ao telefone e diz que vai chegar atrasado para o jantar.
Nesta situação, podemos dizer que o canal é:
a) o pai
b) a filha
c) fios de telefone
d) o código
e) a fala

2. Assinale a alternativa incorreta:
a) Só existe comunicação quando a pessoa que recebe a mensagem entende o seu significado.
b) Para entender o significado de uma mensagem, não é preciso conhecer o código.
c) As mensagens podem ser elaboradas com vários códigos, formados de palavras, desenhos, números
etc.
d) Para entender bem um código, é necessário conhecer suas regras.
e) Conhecendo os elementos e regras de um código, podemos combiná-los de várias maneiras, criando
novas mensagens.

3. Uma pessoa é convidada a dar uma palestra em Espanhol. A pessoa não aceita o convite, pois não sabia falar com fluência a língua Espanhola. Se esta pessoa tivesse aceitado fazer esta palestra seria um
fracasso porqu…